A globalização é um termo bem difundido ultimamente. Trata-se da evolução da comunicação local e internacional, da tecnologia, e dos processos produtivos.

Ao longo dos anos percebemos muitas mudanças, principalmente no trabalho. Vamos conhecer os efeitos da globalização!

Conceito de globalização 

O significado da palavra globalização é retratado de diferentes maneiras nos livros de Geografia, Ciências Sociais, Economia, Filosofia e História.

Basicamente, podemos entender que globalização é uma espécie de mercado financeiro em escala mundial, criado a partir da união dos mercados de diferentes países, promovendo a quebra das fronteiras.

Origem da globalização

A origem da globalização pode ter se originado a partir da década de 1980, na época da queda do Muro de Berlim e do fim da Guerra Fria.

A Europa cultivava um grande interesse em conquistar novas terras, por isso teria iniciado uma expansão marítimo-comercial no fim do século XV e XVI.

O capitalismo também teria facilitado a expansão em massa da globalização. Os processos evolutivos que se originaram a partir dela, trouxeram mais rapidez nas informações. 

Mas, também tornou as pessoas mais conectadas ao mundo digital, escravas da tecnologia, e menos propensas à buscarem o conhecimento a partir dos livros.

– Podemos notar que as crianças e jovens já nascem com habilidades inexplicáveis com relação à tecnologia, enquanto os seus pais e avós sequer conseguem desbloquear a tela do celular!

Revolução Industrial 4.0

A Revolução Industrial 4.0 ou Indústria 4.0, é um termo desenvolvido pelo alemão Klaus Schwab, fundador e diretor do Fórum Econômico Mundial

De acordo com Klaus, essa revolução terá o poder de mudar completamente a forma como vivemos, trabalhamos e nos comunicamos diariamente. 

*A Terceira Revolução Industrial trouxe as informações e telecomunicações que conhecemos hoje, inclusive os eletrônicos.

A tecnologia é a principal fundação da telecomunicação moderna. A Revolução Industrial 4.0 veio como um upgrade da terceira revolução industrial.

Características da quarta revolução industrial

– Universo da Nanotecnologia (tipo de tecnologia que produz circuitos e dispositivos eletrônicos na dimensão de átomos moléculas);

– Biotecnologia ( estudo e desenvolvimento de organismos geneticamente modificados);

– Robótica e inteligência artificial: linha de produção flexibilizada, mudança imediata nos processos produtivos;

– Substituição da mão de obra humana pela robótica, em diversos setores da indústria;

– Descentralização do trabalho humano, substituição das máquinas em operação dia e noite;

– Armazenamento de energia (solar, eólica);

– Movimento das pessoas em prol da tecnologia, necessidade de estar conectado;

– Aceleração da produção, sem interrupções;

– Menos erros, mais acertos;

– Tempo e otimização dos recursos financeiros;

– Satisfação do cliente garantida;

– Necessidade de mão de obra mais especializada;

Brasil e a Revolução Industrial 4.0

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) listou uma série de razões pelas quais o Brasil precisa da implantação da Revolução Industrial 4.0:  

1-O Brasil está na elite de discussão sobre o sistema produtivo tecnológico;

2-Aumento do número de empregos qualificados e, por conseguinte da renda mensal;

3-Adotar os conceitos da Revolução Industrial 4.0 gerará uma economia de 73 bilhões de reais no país; 

4-Melhora da produtividade nacional, e ganho de espaço competitivo com o restante do mundo; 

5-Começará na indústria, mas se estenderá a outros setores;

6-Criação de uma nova cadeia de produção industrial, com alto valor agregado;

7-Melhora em todos os setores de inteligência nas empresas;

8-Aumento da indústria de transformação, juntamente com a produção de commodities;

9-Liderança industrial dos seguintes setores: automotivo, agropecuário, têxtil e de saúde;

10-O governo brasileiro lançará ainda em 2019 as diretrizes com relação ao tema;

Como se preparar e lidar com a Revolução Industrial 4.0?

No início do artigo falamos sobre a influência da globalização, o que tudo tem a ver com a revolução industrial 4.0.

Com a substituição dos processos produtivos na indústria, mais pessoas estarão desempregadas, já que muitas profissões serão extintas.

Mas, se algumas profissões desaparecerão, outras precisarão ser criadas, como o aperfeiçoamento da Tecnologia da Informação, ou mesmo de pessoas que entendam a fundo sobre a tecnologia. 

Como se preparar diante de tantas mudanças ao mesmo tempo?

Reclamar, tentar fugir ou mesmo deixar de lado, não trará nenhuma solução ágil. 

Diante do desemprego crescente – e iminente – o jeito é se aperfeiçoar em outras áreas, ler muito sobre diversos assuntos, e seguir em frente.

Podemos conferir esse assunto muitas vezes em jornais, noticiários na televisão, na internet e em concursos e provas como o Enem

As questões abordadas nessas avaliações, têm o intuito de fazer o participante pensar sobre o que está acontecendo ao seu redor, bem como da influência exercida pela tecnologia.

Os pilares da revolução industrial 4.0 são principalmente a rapidez das informações, a tecnologia (criação de cursos, a internet das coisas, Big Data e etc) e a necessidade de otimizar o tempo e o dinheiro empregado na produção.

O aumento do lucro, também é um dos motivos pelos quais a revolução industrial 4.0 precisa acontecer. Se uma linha de produção de determinado produto está extremamente otimizada, então a satisfação do cliente estará garantida.

Todas estas mudanças devem nos fazer refletir sobre o futuro, onde queremos estar e como queremos participar desta revolução em nosso país

Se a revolução precisa mesmo acontecer, então que estejamos preparados para um futuro menos lento, com mais rapidez nas informações e infelizmente com mais desemprego.

Tendências das profissões – Indústria 4.0

As tendências das profissões do futuro, são:

– Mecatrônica;

– Engenharia Industrial 4.0;

– Automação Industrial;

– Indústria Avançada e Confecção 4.0;

– Exploração Big Data;

– Tecnologia da Informações;

– Programadores;

– Programadores para Internet das Coisas – IoT Internet of Things;

– Sistemas de Produção Inteligente;

– Desenvolvimento de Aplicações em Realidade Virtual e aumentada;

– Empresários que querem estar engajados com a tecnologia e revolução produtiva;

Com as notas obtidas nas provas do Enem, o participante pode aproveitar e utilizá-las para ingressar em qualquer universidade pública ou privada do país, e integrar-se nesse movimento da revolução industrial.   

O futuro já não está distante. Basta lermos algumas notícias para nos darmos conta de que os profissionais precisam se atualizar e acompanhar o mercado. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui